navio de exportação de produtos

Entender sobre câmbio na exportação de produtos, nem sempre é uma tarefa fácil. Afinal, é preciso entender como funcionam os trâmites de pagamentos com moedas estrangeiras, dentro do Brasil.

Isso porque no Brasil, não é permitido o pagamento de produtos ou serviços em moedas de outros países, sendo necessária a intermediação de uma instituição financeira para a “troca” da moeda estrangeira pelo Real, através de negociação e assinatura de contrato. Entenda mais e fique por dentro.

Entenda como funciona o câmbio na exportação

O mercado de câmbio é regulamentado pelo Banco Central do Brasil, e é através desse mercado que as negociações acontecem. As negociações de exportação em câmbio envolvem taxas e o contrato, cujo estabelece o valor a ser pago conforme o acordo estabelecido.

Saiba o que é a taxa de câmbio

Denomina-se taxa de câmbio, o valor da moeda estrangeira em reais, ou seja, o quanto é pago em reais em cima do valor da moeda de outro país. Se US$ 1 custa R$ 4,20 (seja na compra ou na venda), R$ 4,20 é a taxa de câmbio dessa negociação.

Entenda o que é o contrato de câmbio

Esse contrato serve para formalizar a operação de compra ou de venda da moeda estrangeira.  Nesse contrato deve constar todas as informações relativas à operação, como qual é a moeda estrangeira negociada, a taxa contratada, o valor em reais referente a negociação, dados dos negociadores, etc.

Vale ressaltar que esse contrato só é válido se registrado no sistema do Banco Central, devendo ter sido elaborado por um agente autorizado a operar o mercado câmbio.

Como acontece o pagamento na exportação?

O pagamento da exportação em câmbio pode ser realizado de quatro formas. É importante entender bem sobre cada uma dessas formas de pagamento, para obter sucesso na negociação, minimizando por exemplo, o risco ao negócio. São elas:

  • Pagamento antecipado: Como o próprio nome já diz, nessa forma de pagamento o valor negociado deve ser enviado ao exportador antes do envio do produto. Esta é considerada a forma de pagamento mais segura para o exportador, visto que antes de produzir, ele já terá a garantia do pagamento.
  • Pagamento por Remessa Direta: nessa modalidade o pagamento pode ser realizado à vista ou a prazo, sendo que o exportador envia o produto vendido, junto com os documentos pertinentes e realiza uma remessa postal. O importador recebe tudo e efetua o pagamento. Essa forma de pagamento é recomendada para empresas experientes em exportação, pois, não é a mais segura.
  • Cobrança documentária: nessa forma de pagamento são bancos que fazem a intermediação do envio do pagamento ao exportador. O produto é enviado ao importador. Já o banco, envia os documentos pertinentes a exportação, incluindo a letra de câmbio, ao banco no exterior. Essa entrega chega ao banco no exterior como uma carta de cobrança, para que ele efetue o pagamento. Esta é considerada uma forma de pagamento segura, mas mais burocrática.
  • Carta de Crédito: Já as cartas de crédito, são consideradas a forma mais segura de crédito documentário comercial, pois, oferece tanto ao importador quanto ao exportador, maior segurança nos trâmites financeiros internacionais. Isso porque essa modalidade envolve entidades financeiras nas suas transações, cujas são responsabilizadas pelas negociações de importação e exportação. Diferente da modalidade de pagamento denominada cobrança documentária, na carta de crédito, as instituições financeiras envolvidas não são apenas canais de cobrança, mas passam a ser examinadoras de toda a documentação envolvida na negociação.

Conte com a Avanti para obter as melhores negociações de câmbio

Mais uma vez a Avanti trouxe um conteúdo útil e interessante, para te ajudar a entender mais sobre câmbio! Conte com o time especializado e a plataforma própria da Avanti, para fazer as melhores negociações de câmbio do mercado! Estamos prontos para te atender!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *